Culinária, é uma delícia!

Os Alunos dos 2ºs. anos prepararam uma deliciosa receita de brigadeiro. Siga a receita e bom apetite.

Receita de Brigadeiro

1 lata de leite condensado
3 colheres de chocolate em pó
2 colheres de manteiga
Leve ao fogo e mexa sem parar até desgrudar do fundo da panela.

Bom apetite!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Construindo um vulcão – 3º anos…

   Quando as pessoas pensam em vulcões, a primeira imagem que vem à cabeça é provavelmente uma montanha alta com lava alaranjada sendo expelida. Certamente há vários tipos de vulcões assim. Mas o termo vulcão descreve, na verdade, uma gama de fenômenos geológicos muito mais ampla.

   Em geral, um vulcão é qualquer lugar onde certa quantidade de material é expelida de dentro do planeta para a superfície terrestre.

   O que é exatamente esse material expelido? No nosso planeta é o magma ou rocha fundida. Para entender de onde ele vem, precisamos examinar a estrutura do planeta Terra.

Terra é composta de várias camadas, divididas em três mega-camadas: o núcleo, o manto e a crosta.

  • Nós vivemos na crosta rígida que possui de 5 a 10 km de espessura sob os oceanos e de 32 a 70 km sob a terra. Isso pode parecer muito, mas, comparada ao resto do planeta, ela é bem fina como a casca de uma maçã.
  • Logo abaixo da crosta encontra-se o manto, a maior camada da Terra. Embora o manto seja extremamente quente, ele é primordialmente sólido, pois a pressão interna do planeta é tão grande que o material não derrete. Em circunstâncias especiais, contudo, o material derrete formando o magma que transborda pela crosta.

Agora, vejam o que a turminha do 3º ano fez: construindo um vulcão e comparando as camadas da Terra com um ovo cozido.

Foi uma explosão de alegria!!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Alunos do 4º. Ano C fizeram o SAPO FALANTE…

BIOPIRATARIA

A história da biopirataria na Amazônia começou logo depois do “descobrimento” ou melhor, “encobrimento” dos portugueses em 1500, quando os mesmos roubaram dos povos indígenas da região, o segredo de como extrair um pigmento vermelho do pau-brasil . Hoje, a flora e a fauna do Brasil continuam desaparecendo e a madeira que deu ao Brasil seu nome, está sendo preservada apenas em alguns jardins botânicos.

Os indígenas tinham grande conhecimento sobre a natureza e seus recursos. Porém, a tecnologia da sociedade vem ameaçando os últimos ecossistemas e a diversidade biológica e cultural na terra.

Sabe-se que a evolução é inevitáv el, mas por que não preservar e também utilizar de forma consciente?

O SAPO VERDE

O sapo verde – phyllomedusa bicolor é a maior espécie do gênero da família Hylidae, que ocorre na Amazônia. Podendo ser encontrado em quase todos os países amazônicos como a Guiana, Venezuela, Colômbia, Peru, Bolívia e Brasil. Principalmente no período das chuvas, sob árvores próximas aos igarapés. Onde coaxam por toda a noite, anunciando chuva no dia seguinte. Mas, é na madrugada, que são “colhidos” a fim de retirarem sua secreção cutânea (pele), para fazer a “vacina do sapo”.

USO TRADICIONAL

Tomar a vacina do sapo é uma prática antiga de fins medicinais, muito fundida entre os povos indígenas do Brasil e do Peru. A maior finalidade é “tirar a panema”, ou seja, afastar a má sorte na caça e com as mulheres. Existem variações nos rituais e nomes dados ao sapo verde. Na história antiga dos Kaxinawá, o sapo kampu (nome utilizado pelo povo K axinawá), era o chefe do “nixi pëi”, bebida preparada com o cipó Banisteriopsis caapi. A vacina do sapo é considerado um remédio para muitos males pelas populações tradicionais do vale do Juruá, curando desde amarelão até dores em geral.

Hoje, a vacina do sapo é utilizada também por seringueiros e vem sendo aplicada por alguns curandeiros nas cidades de Cruzeiro do Sul/AC e Rio Branco/AC.

Até os sapos são desrespeitados. É muito importante descobrir a cura das doenças e a ciência médica precisa evoluir, mas será que tudo o que é retirado do nosso país é controlado e respeitado? Será que a fauna e a flora estão sendo preservadas e amparadas para que tudo não entre na temível extinção – tão falada, mas pouco reparada?

O Brasil ainda é o paraíso da diversidade. Mas até quando? Será que os brasileiros estão esperando tudo acabar para então se arrepender ou buscar soluções?

A educação tem um papel importantíssimo na luta por um Brasil reconst ituído e preservado. O que você estuda e aprende hoje, poderá fazer a diferença amanhã. Pense nisto e cultive o amor pelo lugar que chamamos pátria, casa, lar. O nome Brasil já é tão sugestivo – nasceu do extrativismo predatório. Não seja você também aquele que “encobrirá” o nosso querido Brasil.

O nosso SAPO FALANTE está falando com você: SOCORRO! AJUDE-ME A SER PRESERVADO!

Foi muito legal fazer o sapo com vocês garotada! Ficou um show!

Beijão da professora Adriana.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comparação da Crosta terrestre a um ovo…

 

Queridos(as) alunos(as),
Comparando a Terra a um ovo cozido, cortado ao meio, podemos reconhecer suas partes e seu interior.
A crosta terrestre corresponde à casca do ovo; é a camada mais superficial e dura da Terra, formada por rochas. A crosta não é formada por apenas uma parte, mas de várias outras que são as grandes placas que flutuam sobre o manto.
O manto corresponde à clara do ovo, que é a camada localizada logo abaixo da crosta terrestre e composta de rochas muito quentes que se movimentam constantemente.
No centro da Terra, há um grande núcleo, que corresponde à gema do ovo. Esta é a parte mais quente da Terra. O núcleo é dividido em dois, o externo, que é líquido, e o interno, que é sólido.
Diante de todas estas descobertas, levamos para a sala de aula um ovo cozido, onde fizemos a comparação identificando as partes da Terra, tiramos fotos e ainda aproveitamos para fazer um lanchinho saudável!
Aproveitamos muito essa aula!!! E… podem ter certeza de que teremos outras bem interessantes!!!

 

 

Aproveitem com carinho esta oportunidade maravilhosa de descobertas, pois ela é única!!!! Amamos vocês!!!

                  Beijos!!! Professoras Priscilla, Gislaine e Maristela.

Versões sobre Chapeuzinho Vermelho…

Queridos alunos,
Nesse bimestre vimos algumas versões sobre a história do Chapeuzinho Vermelho. Agora, vocês verão outra versão muito legal, com a personagem Magali de Maurício de Sousa.
Enquanto você assiste, pode ir respondendo às questões da folha de revisão.  Quando terminar de fazer essa gostosa atividade, já terá estudado português. Aproveite!

Beijos das professoras: Maristela, Priscilla e Gislaine

SEMINÁRIO SOBRE YURI GAGARIN

Olá pessoal! Empolgados com o nosso seminário? Já que nós falamos um pouquinho sobre Yuri Gagarin em nossas aulas, o que vocês acham de sabermos mais sobre a vida desse astronauta?
Isso é só o começo…Temos certeza de que nós vamos aprender muito no seminário que já está se aproximando…
Beijos!
Professoras dos 4°s. anos

YURI GAGARIN

O soviético Yuri Alekseievitch Gagarin foi o primeiro homem a viajar pelo espaço, em 12 de abril de 1961, a bordo da nave Vostok-1. A missão, lançada do Cosmódromo de Baikonur, durou uma hora e 48 minutos, e consistiu de uma volta em órbita da Terra a 315 km de altitude. Ao olhar pela janela da nave, Gagarin constatou, fascinado: “A Terra é azul!”.

O astronauta era piloto militar graduado pela escola de Saratov em 1955 e pela unidade de treinamento de pilotos de caça Voroshilov Chkalovsk, em 1957. Serviu na frota de porta-aviões soviéticos, até ser selecionado como cosmonauta em 1960. Foi nomeado comandante do grupo em 1963.

Gagarin viajou pelo mundo para divulgar o programa espacial soviético, visitando inclusive o Brasil e os Estados Unidos. Devido à sua importância na propaganda de seu país, foi proibido de voltar ao espaço em agosto de 1967. No entanto, morreu em um acidente com um jato MIG-15, junto com o piloto Vladimir Seryogin.

O vôo da Vostok-1 foi totalmente automático. O painel de controle estava travado e Gagarin tinha uma chave para assumir somente em caso de necessidade – o que não aconteceu, apesar de o módulo de equipamentos não ter se separado da cápsula ao final da missão e provocar uma situação crítica ao queimar na reentrada na atmosfera terrestre.

Gagarin ejetou-se após a reentrada e desceu de paraquedas, como planejado. A União Soviética negou esse fato por anos, com medo de o voo não ser reconhecido pelas entidades internacionais, já que o piloto não acompanhou a espaçonave até o final.

Com a proeza de Gagarin, os soviéticos confirmaram seu pioneirismo no espaço: haviam lançado o primeiro satélite artificial, o Sputinik, em 1957, e, no mesmo ano, colocaram em órbita o primeiro ser vivo: a cadela Laika. A Vostok-1 foi precedida por dois voos não tripulados conhecidos como Korabl-Sputnik-4 e Korabl-Sputnik-5, que usaram a nave Vostok para testes.

 http://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u286.jhtm

LER É GOSTOSO…

Ler é gostoso. Ler faz bem para o corpo e para o espírito, para a mente e para o coração. Ler é viajar, é conhecer, é aprender. Devemos procurar sempre um cantinho, mesmo simples, mas onde possamos dar importância e concentração ao ato da leitura diária. Nosso imaginário irá se desenvolver, transportar-se para as histórias e envolver-se com os personagens dos livros que estamos lendo; por isso, um lugar em sintonia com a natureza nos ajuda a aguçar nossos melhores sentimentos e relaxar por completo. PARABÉNS CRIANÇAS, POR, AOS POUCOS, ESTAREM DESENVOLVENDO O HÁBITO E O GOSTO PELA LEITURA. LEMBREM-SE: A LEITURA É UM PATRIMÔNIO CULTURAL, QUE TRAZ NOVAS APRENDIZAGENS, DESENVOLVE A ESCRITA E O VOCABULÁRIO DO LEITOR, DEIXANDO-O MAIS CRÍTICO DIANTE DA PRÓPRIA VIDA! BEIJOCAS DA TIA RITA.

Este slideshow necessita de JavaScript.

CONCURSO CÍVICO INDEPENDÊNCIA…

Aqui está a redação de RENAN PARRA MARTINÊS, aluno da professora Cristiane (5º. ano B), escolhida para representar nosso Colégio no XXXIV CONCURSO CÍVICO INDEPENDÊNCIA “ALÍPIO GOMES”, promovido pela Loja Maçônica Tranquilidade e Esperança. Ao Renan, que tão bem nos representou, nossos parabéns!   

 

O GRITO QUE MUDOU NOSSA HISTÓRIA

          Hoje, no meu Colégio, assisti a uma palestra que me fez viajar no tempo.
          Fiquei sabendo que no final do século XVIII o rompimento entre o Brasil, então colônia portuguesa, e Portugal, a metrópole, era apenas uma questão de tempo. Essa ideia de independência começou a se consolidar a partir da segunda metade do século XIX e teve sua concretização no dia 7 de setembro, quando nos tornamos senhores de nosso destino.
          Convido vocês a embarcarem comigo nessa viagem para entenderem como tudo aconteceu.
          No dia 9 de janeiro de 1822, D. Pedro recebeu uma carta das cortes de Lisboa, exigindo seu retorno a Portugal. Ele decidiu ficar e tomou uma série de medidas que desagradaram aos portugueses, pois eram medidas que já preparavam o caminho para a independência do Brasil.
          No dia 7 de setembro do mesmo ano, chegava o imperador  a Santos quando encontrou, nas proximidades do riacho Ipiranga, emissários do Rio de Janeiro, que lhe traziam mensagens de Lisboa. As notícias não eram boas. Entre as mensagens, estavam cartas de José Bonifácio e de Dona Leopoldina, que pediam a D. Pedro para reagir e evitar que o Brasil fosse submetido ainda mais a Portugal. A maçonaria, da qual D. Pedro era membro, também teve grande influência na importante decisão de nosso imperador, pois foi nas reuniões com outros maçons que amadureceram as ideias de “igualdade, liberdade e fraternidade”, propagadas pela Revolução Francesa.   E foi nesse contexto que, com o grito “Independência ou Morte”, nosso primeiro imperador, D. Pedro I, determinou a ruptura entre Brasil e Portugal.
          Embora com nossa independência proclamada, o processo de liberdade tinha um longo caminho até se concretizar, pois uma nação só é realmente livre com educação para todos, sem desigualdade social, sem violência, sem drogas…
          Neste ano em que haverá eleição, onde serão escolhidos representantes para vários cargos, o povo brasileiro precisa estar consciente e votar em candidatos que estejam realmente dispostos a realizar as mudanças necessárias para que o Brasil seja um país justo e verdadeiramente livre.

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL…

Você sabe o que aconteceu no dia 7 de setembro de 1822? Independência do Brasil! Durante um tempo, D.Pedro seguiu ordens da corte portuguesa, mas acabou percebendo que as leis vindas de Portugal pretendiam transformar o Brasil novamente em uma simples colônia. Os políticos portugueses exigiram que D. Pedro voltasse imediatamente para Portugal. No Brasil, os defensores da independência iniciaram uma campanha pedindo que o príncipe regente permanecesse em nossa terra. No dia 9 de janeiro de 1822, D. Pedro recebeu um abaixo-assinado pedindo-lhe que ficasse. Ele atendeu ao desejo do povo declarando: “Como é para o bem de todos e felicidade geral da nação diga ao povo que fico”. Com esse ato, D.Pedro atendeu aos interesses dos ricos fazendeiros brasileiros. D.Pedro permaneceu no Brasil e esse dia passou para a nossa história como o Dia do Fico. Os brasileiros continuaram em campanha política para que o Brasil se tornasse independente de Portugal. No dia 7 de setembro de 1822, D.Pedro fez uma declaração oficial de independência,afirmando assim seu acordo com os brasileiros. Nos meses seguintes, os brasileiros venceram facilmente o ataque das tropas portuguesas, com apoio inglês. Em pouco tempo, vários países da América, que já haviam se libertado do domínio europeu, apoiaram oficialmente nossa independência. D.Pedro tornou-se o primeiro imperador do Brasil, com o título de D.Pedro I. O Brasil passou a ser uma monarquia, uma forma de governo em que os poderes são exercidos pelo imperador ou rei.

 

Um grande beijo!!!

Professora Priscilla

 

 

 

Pão com Letras…

Queridos alunos, durante esse bimestre, fizemos várias leituras e conhecemos diferentes tipos de textos, dentre eles: música, biografia, receitas, poesias etc.

  * O incentivo à leitura foi concretizado com a confecção de bolsas para cada aluno, com o slogan: ”Ler é diversão!” Assim, os livros retirados da biblioteca serão levados sem danificá-los.

Dando continuidade ao projeto de leitura, algumas crianças recitaram poesias do livro infanto-juvenil: “Lé com cré”, abrilhantando nosso início de aula.

No poema “Ensinamento” de Adélia Prado, ela diz: “Minha mãe achava estudo a coisa mais fina do mundo…”

   Inspirados nas leituras feitas de bons autores, os alunos também “revelaram-se” para a minha alegria, poetas e poetisas,

   Como por exemplo, os versinhos feitos pelas alunas: 1) Isabela, 2) Lorrayne, 3) Rafaela e 4) Helena.

1) Mastigo chiclete                                        2) Na minha casa, nadei 

   Como omelete                                                  Machuquei e chorei

   Se quiser faço espaguete                                Com dor eu ainda brinquei       

   Na rua das piriguetes                                     Sonhei que quase me afoguei

3) Eu gosto de nadar sem parar                       4) Estava no meu quarto vendo

    Comer brigadeiro sem exagero                        borboletas no jardim,

    Ficar dormindo sempre sorrindo                      vi brancas verdes e amarelas,

    Ver o pôr do sol,                                              uma bem bonita pousou no jasmim. 

    Deitada no lençol.

   * Finalizando nosso projeto de leitura, por sugestão do livro, aprendemos uma receita de pão de minuto e comemoramos com um delicioso pique-nique de pães!

“ O que a memória ama fica eterno” – Adélia Prado

lembrem-se: a leitura também te leva a lugares incríveis.

Um beijo carinhoso,

Professora Maristela

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.